quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O lado B da Bruna Surfistinha

 

Estes últimos dias, a única coisa que vejo, tanto na TV quanto na internet, é o lançamento “espetacular” do filme da Bruna Surfistinha. Mas, uma perguntinha…(igual aquela chata que faz a indagação bem no final da aula) por que será que o brasileiro adora cultuar os heróis errados?

Não estou aqui para julgar se é certo ou errado o filme da moça. E muito menos tenho preconceito quanto à pratica que a deixou famosa. Apenas me pergunto por que tanto holofote? Pra que tanta pompa? Tendo preconceito ou não, a profissão da Raquel – nome verdadeiro dela – não é exemplo pra ninguém. Profissão essa que ela entrou porque quis, diga-se de passagem. Aí entra mais uma pergunta…Então..se prostituir é legal?

Há pouco tempo, recebi um e-mail de uma amiga, que por sua vez tinha recebido de outra e que dizia: Pra que colocar o Cazuza em um pedestal? Estamos idolatrando o herói errado! Ele ensinou a usar drogas, a transar sem proteção…Isso não é ser herói, mas o brasileiro o trata como tal. E com a Bruna, não é a mesma coisa?

Só no Brasil, filme que mostra a realidade das favelas fazem sucesso. E, exceto Tropa de Elite, todos os outros mostravam o lado B da história – a velha máxima do menino pobre que virou bandido por não ter outra opção na vida. Perae. Todos nós temos opções na vida. Tanto para mim, para você e para o menino que mora na favela. Desde muito cedo, já sabemos o que é certo e errado. Por menos instrução que tenha, a pessoa sabe que não se pode matar. A escolha de vários bandidos foi a da criminalidade – e vira filme aqui. A escolha da Raquel foi virar a Bruna Surfistinha – e sabe-se lá quem se encantou pela trajetória de vida dela e resolveu fazer sua cine-biografia.

É. De fato, estamos ‘fracos” no quesito heróis. Mas a minha escolha é não compactuar com isso. Nada disso que eu falei é falso moralismo, me entenda, é apenas opinião.E uma questão de escolha.

 

PS: Desculpe àqueles que gostam da ideia de ter um filme da Bruna. Isso também é uma questão de escolha. Não sei se vocês já viram, mas abaixo conheça o trailer do filme ‘Anjos do Sol”, que mostra exatamente o outro lado da Bruna Surfistinha. Chocante e totalmente real. Quantos casos desses você já não ouviu falar?

7 comentários:

  1. Concordo com o texto do começo ao fim!

    ResponderExcluir
  2. As pessoas estão acostumadas a comprar ideias que são vendidas pela "grande mídia". Sempre vai faltar reflexão. Prova disso foi a última eleição que dispensa comentários. Seu post cabe muito bem no que discuti com a turma na aula de hoje: a maioria ainda compra qualquer coisa como VERDADE. Feliz de quem, como você, consegue enxergar além das entrelinhas...

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do post, tirou palavras da minha boca!!

    ResponderExcluir
  4. Vivi,

    Os valores estão invertidos. O que vale é o que vende mais e mais rápido. Enquanto isso destruímos o planeta e tudo o que é vivo. O duro é que quem enxerga tem mais responsabilidade. A luta é longa, árdua e o exército ainda é muito pequeno.
    Seu blog está maravilhoso. Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Primeiramente acho que o advento do filme da Surfistinha provém de fatos puramente comerciais. Ela ficou famosa, escreveu um livro, virou best seller, Marcus Baldini (o diretor do filme) pensou naquilo que qualquer pessoa ligada ao cinema pensaria "Pô, isso daria um bom filme". Pode até ser que não seja bom, mas será rentável.

    Dito isso, vamos aos nossos heróis...

    O fato é que hoje em dia eles estão em falta. Você fala no texto sobre o Cazuza. Infelizmente, para pessoas da nossa idade, ele não foi um herói porque morreu antes de que nós pudessemos saber de quem se tratava ou quem era. Só viemos a saber - e em muitos casos, admirá-lo - depois.

    Entendo as razões expostas pela sua amiga (e concordo com ela em vários pontos), mas é necessário conversar com alguém que tenha vivido essa época intensamente pra entender que, com certeza ele fez coisas mais importantes do que apenas os seus maus hábitos.

    É o tal do faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Esse, vindo dele, seria um conselho sensacional, já que o cara era um poeta nato.

    ResponderExcluir
  6. Vivi,

    Realmente muitos brasileiros, assim como você mesmo disse, idolatram os heróis errados. Infelizmente, vivemos em um mundo capitalista em que tudo é mercadoria. Sendo assim, muitos querem assistir o tele jornal e ver tragédias ou assistir um filme que fala da coitadinha que se prostitui para ganhar a vida, e que hoje, faz muito sucesso. Mesmo expressando nossos sentimentos, ainda somos a minoria.
    É por isso que não devemos nos calar. Porque uma vez calado, consentimos com a situação exposta.
    Seu blog esta show. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Vivi, super concordo com o seu post parabéns pelo texto.

    Eu fiz uma música sobre o filme Anjos do Sol, qualquer hora canto pra vc aqui na agência.

    Beijos.

    ResponderExcluir